BOA P√ĀSCOA

Sondagem

Escrever um livro

L&L MOBILE

Faixa publicit√°ria

Opini√£o dos Leitores

Newsletter

Tradutor

Livros & Leituras TV

Entrevistas

Ensaio

A maça de Cézanne…e eu

G√ČNERO - Ensaio

alt

A editora Sistema Solar traz at√© n√≥s, pela m√£o de D. H. Lawrence, um fabuloso livro. ‚ÄúA ma√ßa de C√©zanne‚Ķe eu‚ÄĚ.

O livro debru√ßa-se sobre Paul C√©zanne, o pintor franc√™s que chegou a ser considerado por Picasso, ‚ÄúO pai de todos n√≥s‚ÄĚ.

‚ÄúSe o ser humano fosse essencialmente uma Ma√ß√£, como era para C√©zanne, caminhar√≠amos em dire√ß√£o a um novo mundo de homens: um mundo com muito pouco para dizer, com homens que conseguiriam, apenas com o seu lado f√≠sico e uma verdadeira aus√™ncia de moral, manter-se tranquilos.‚ÄĚ

__________

D. H. Lawrence

A maça de Cézanne…e eu

Sistema Solar


Add a comment

Os nomes da obra

G√ČNERO - Ensaio

alt

Na sinopse pode ler-se: ¬ęO filme [da alma] √© uma secreta murmura√ß√£o e nela participam obliquamente todas as coisas, h√° a mem√≥ria de um crime arcaico, maternal, um baptismo no sangue m√ļltiplo daquilo que vive para morrer, e a paix√£o, o vento das pot√™ncias que nos extravia, bra√ßos abertos, rosto luzindo, um grito contra a parede. V√™ como as folhas das √°rvores palpitam na claridade! V√™ como a noite fecha as tuas janelas! √Č isto.¬Ľ

No t√≠tulo¬†Ou o Poema Cont√≠nuo, que Herberto Helder usou por duas vezes, a conjun√ß√£o inicial relaciona-se com o nome de autor e diz-nos como ler a escrita de uma vida. Leia-se em¬†Herberto Helder¬†o outro nome da obra, o outro nome da ¬ęcan√ß√£o ininterrupta¬Ľ. O poeta via na escrita um processo de ¬ęnomea√ß√£o f√≠sica¬Ľ, de montagem das imagens, a inven√ß√£o de uma ¬ęirrealidade objectiva¬Ľ. Em 2013, recuperou um texto anterior para sopesar o caminho percorrido: ¬ęcumprira-se aquilo que eu sempre desejara ‚ÄĒ uma vida subtil, unida e invis√≠vel que o fogo celular das imagens devorava. Era uma vida que absorvera o mundo e o abandonara depois, abandonara a sua realidade fragment√°ria. Era compacta e limpa. Gramatical¬Ľ.

__________

Rosa Maria Martelo

Os nomes da obra

Documenta


Add a comment

O livro das trivialidades

G√ČNERO - Ensaio

alt

Estamos perante o balanço de vida e de afetos. O livro das trivialidades é, essencialmente, um ensaio romanceado que foge aos géneros literários.

Nesta obra, h√° personagens, tempos e espa√ßos para todos os gostos. H√° muita vida e din√Ęmica. H√° at√© muita filosofia. Interessante!

 __________

Armando Martins

O livro das trivialidades

Europress


Add a comment

O mistério MH-370

G√ČNERO - Ensaio

alt

Esta √© uma obra de fic√ß√£o. Por muita tinta que o desaparecimento do voo MH-370 da Malasia Airlines j√° tenha feito correr, eis que agora o mesmo √© tema para este romance de Nuno Nogueira Silva. Alertados por um sat√©lite para uma √°rea repleta de destro√ßos que poderiam ser do avi√£o em causa, um navio australiano rapidamente se dirige para a zona em causa no oceano √ćndico. Todos estavam √† espera de destro√ßos, certamente, mas ningu√©m estava preparado para que, dezoito dias depois do desastre, fosse encontrado um homem, vivo, em cima dos destro√ßos. Esse seria apenas o in√≠cio de um grande mist√©rio que caber√° √† inspetora malaia Mi Ewalina investigar. De leitura f√°cil, quase compulsiva,¬†O mist√©rio MH-370 foi publicado em janeiro deste ano pela Chiado Editora.

__________

Nuno Nogueira Silva

O mistério MH-370

Chiado Editora


Add a comment

Casas com escritos

G√ČNERO - Ensaio

casas com escritos

Sabias que dantes se assinalavam as casas para arrendar com simples quadrados de papel branco colados nas janelas? Eram os escritos que est√£o na origem do nome desta obra publicada pela editorial Biz√Ęncio. Casas com escritos, da autoria de Margarida Acciaiuoli, com vasta obra publicada sobre a arte portuguesa do s√©culo XX, tem in√≠cio com a reconstru√ß√£o da cidade de Lisboa ap√≥s o terramoto de 1755. Discorre sobre as pol√≠ticas econ√≥micas e as pr√°ticas da √©poca em termos de aluguer de casas, quest√Ķes alusivas ao direito de propriedade, imposto predial e tributa√ß√£o. Prossegue com a posi√ß√£o da casa nas Constitui√ß√Ķes de 1822 e 1838 e as normas institu√≠das em termos de arrendamento, dando o exemplo da Avenida da Liberdade como figura de urbanidade. A explans√£o da cidade, a ind√ļstria da constru√ß√£o, as habita√ß√Ķes econ√≥micas, o regime de propriedade horizontal, terminando na decad√™ncia de Lisboa em termos de desinvestimento nos pr√©dios de arrendamento e n√ļmero crescente de edif√≠cios devolutos na cidade de Lisboa.

__________

Margarida Acciaiuoli

Casas com escritos

Biz√Ęncio


Add a comment

PUB

NOVIDADES

A FRASE

Dificuldades reais podem ser resolvidas; apenas as imagin√°rias s√£o insuper√°veis. (Theodore N. Vail)

PUB

Faixa publicit√°ria

Originais

Opini√£o