Opinião dos Leitores

Newsletter

Tradutor

Livros & Leituras TV

Entrevistas

Bocage, ele mesmo!

GÉNERO - Teatro

 

 

É um privilégio ter em casa um dos apenas 3000 exemplares da edição de 1999 desta obra. “Bocage, Ele Mesmo” é uma peça de teatro onde Fernando Cardoso nos apresenta um dos maiores poetas portugueses de sempre, Manuel Maria Barbosa du Bocage. Determinado em desfazer a ideia de que Bocage era apenas um escritor de anedotas e versos eróticos vulgares, o autor captura a sua dimensão interior e genialidade e retrata, simultaneamente, a sociedade da sua época.

Já Justino Mendes de Almeida concorda, no proscénio, que o autor “consegue (...) dar ao grande público uma imagem tão próxima quanto possível do real, autêntica, verdadeira de Bocage, correctora da figura de um poeta imortal, mal conhecido, ou mesmo desconhecido, distorcido até, pelos menos informados, através de uma narrativa vívida e dinâmica, em que o factor humano sai relevado.” Para o reitor da Universidade Autónoma de Lisboa, “o autor pôde transmitir, a quem tiver olhos de ver e ouvidos de ouvir, como no tempo de Gil Vicente se exigia, uma visão mais nítida da biografia dramática de um poeta que encontra em Luís de Camões o seu melhor símile”.

Para todos os que desejam conhecer melhor esta figura incontornável da literatura portuguesa do final do séc. XVIII, a peça de Fernando Cardoso pode ser preciosa. A obra, profusamente ilustrada por quadros e gravuras de variadíssimos autores, é da editora Portugalmundo.

__________

Fernando Cardoso

Bocage, Ele Mesmo!

Portugalmundo

Comentar


Código de segurança
Atualizar

PUB

NOVIDADES

A FRASE

Cada vez que mentes para evitar um esforço, a manta sob a qual te escondes torna - se um pouco maior, até que acabes por te afogares debaixo dela. (Rafik Schami)

Originais

Opinião