Opinião dos Leitores

Newsletter

Tradutor

Livros & Leituras TV

Entrevistas

Sobre o teatro de marionetas e outros escritos

GÉNERO - Teatro

 

Para quem não o estudou, saiba-se que, durante a sua curta mas intensa existência, de apenas 34 anos, Heinrich Von Kleist produziu uma vasta obra de ensaios, contos, poemas, novelas e peças de teatro. O autor viveu na viragem do século XVIII para o século XIX e é hoje reconhecido como o mais importante dramaturgo do movimento romântico alemão, sendo um dos precursores do teatro moderno.

A fase final da sua vida foi, precisamente, a mais produtiva de todas, e são esses escritos, criados entre 1798 e 1811, que esta obra reúne. Escritos esses que nos transmitem a visão que o próprio autor tinha da vida e da forma como ela deve ser percorrida, isto é, em constante busca da felicidade. Estava igualmente ciente de como o destino nos pode surpreender e movimentar como marionetas, através dos seus “fios”. Pôs termo à sua própria vida, como se tornou frequente entre os românticos, sendo esse o seu derradeiro acto de busca e encontro da eternidade.

Encontramos, nesta obra publicada pela Antígona, textos como o “Ensaio sobre como encontrar o caminho seguro da felicidade e (...) dela desfrutar” e “Sobre a ilustração da mulher”, nos quais fica patente o estado do seu pensamento inicial, dominado por ideais iluministas, mas já com sinais de alguma inquietude. Outros versam profundamente sobre questões de natureza estética, moral, linguística, cultural, pedagógica e política. “Sobre o teatro de marionetas”, que empresta o seu nome à obra, representa o equilíbrio instável entre o génio criativo e a força destrutiva que habitavam dentro de si, qual homem e demónio em confronto pelas suas visões do mesmo mundo.

O professor José Miranda Justo apresenta-nos este livro e a figura singular de Heinrich Von Kleist de forma exemplar, sendo o autor das traduções aqui apresentadas. Não devem ser descuradas as notas de rodapé, elucidativas e indispensáveis à melhor compreensão dos textos e do contexto em que se inserem.

__________

Heinrich Von Kleist

Sobre o Teatro de Marionetas e Outros Escritos

Antígona

Comentar


Código de segurança
Atualizar

PUB

NOVIDADES

A FRASE

O homem tem três amigos: o dinheiro, só até à morte; os parentes, até à sepultura; as boas obras para sempre.(Autor desconhecido)

Originais

Opinião