Fair

11°C

Lisboa

Ulti Clocks content

ATUALIDADE

Sondagem

Quantos livros leu em 2014?

L&L MOBILE

Faixa publicitária

Pesquisa

Opinião dos Leitores

Tradutor

CONCURSOS PNL

Livros & Leituras TV

A velhinha do monte e o ladrão

ORIGINAIS - CONTO

alt

Tal como em «O cego e o Mealheiro» também neste conto tradicional se depreende a extrema relevância da inteligência.

A Velhinha do Monte vivia completamente sozinha. Uma noite, sentiu que alguém conseguira abrir a porta e entrar em sua casa para a roubar.

Embora com muito medo, fingiu não se aperceber da intenção do intruso e chamou por ele:

- Chegue-se cá, irmãozinho. Não se esconda, eu sei o que é a pobreza envergonhada. Deve estar cheio de frio e de fome. Venha aquecer-se à lareira e comer uns ovinhos.

O ladrão não resistiu a tal convite pois, na verdade, estava com fome e frio. Aproximou-se e foi sentar-se à lareira a comer.

E, enquanto o ladrão comia, a Velhinha do Monte, que era muito esperta,

não parou de falar.

- É triste ser-se pobre, mas doente é ainda pior. O meu pai, quando lhe apareceu um tumor, tornou-se insuportável e impaciente ao ponto de, quando o médico pegou na lanceta, começar a gritar: «Ó da guarda!, Ó da guarda, Ó da guarda!».

- Não grite tão alto que os vizinhos podem ouvir- dizia-lhe o ladrão.

- Não tem importância, os meus vizinhos já estão habituados a ouvir-me contar esse comportamento de meu Pai. O irmãozinho não pode imaginar o que foi esse dia. Mal o médico levantou a pele para lancetar o tumor, o meu pai gritou com tanta força tinha: «Ó da guarda!, Ó da guarda!, Ó da guarda!».

-Não grite tão alto - insistia nervosamente o ladrão.

- O pior foi quando o médico espremeu o tumor. Então o meu pai gritou a pulmões cheios: «Ó da guarda!, Ó da guarda!, Ó da guarda!».

Ainda a Velhinha do Monte estava a fingir que imitava o pai e já a vizinhança, armada de paus e varas, entrava pela casa dentro, agarrando o ladrão para o levar à cadeia…

Comentar


PUB - Clik Aqui

Faixa publicitária

NOVIDADES

A FRASE

Os sábios falam pouco e dizem muito; os ignorantes falam muito e dizem pouco. (Autor desconhecido)

PUB

Newsletter

Originais

Opinião