Mostly cloudy

10°C

Lisboa

Ulti Clocks content

ATUALIDADE

Sondagem

Quantos livros leu em 2014?

L&L MOBILE

Faixa publicitária

Pesquisa

Opinião dos Leitores

Tradutor

CONCURSOS PNL

Livros & Leituras TV

Tem coisas, ti Manel, tem coisas más de entender… Mandaram fazer a açorda e agora na a querem comer!

GÉNERO - Grandes Clássicos Portugueses

alt

Nesta obra da Esfera do Caos, encontramos uma crítica política e social ao Portugal contemporâneo. O seu autor é daqueles que acredita, e com toda a legitimidade, nas virtudes do desenvolvimento rural e da abordagem local. Camilo Mortágua é um dos últimos revolucionários românticos, pelos golpes com que abalou a ditadura de Salazar, como a Operação Dulcineia, o assalto ao avião da TAP em Marrocos e a fundação da LUAR. Ultimamente em trabalhado em projectos de desenvolvimento local, com grupos desprotegidos e comunidades em risco de exclusão.

O título provém de uma moda popular alentejana e serve de moldura ao conjunto de ideias e reflexões sobre os conceitos “rural” e “desenvolvimento”, tão descredibilizados nos últimos tempos, em contexto nacional.

O autor aponta a necessidade de uma estratégia territorial integrada noutras estratégias a nível mais abrangente. Relativamente à crise actual, descreve o processo que nos conduziu ao actual estado de coisas, debruça-se sobre o desequilíbrio entre os vários sectores da actividade económica., reflecte sobre a desertificação do interior do país, a pobreza, a exclusão social, o encerramento das escolas, regressando, em última análise, à questão dos rendimentos das actividades agrícolas.

Esta edição contou com os apoios da Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul, da Associação para as Universidades Rurais Europeias e da vila de Alvito.

__________

Camilo Mortágua

Tem coisas, ti Manel, tem coisas más de entender… Mandaram fazer a açorda e agora na a querem comer!

Esfera do Caos

Comentar


PUB - Clik Aqui

Faixa publicitária

NOVIDADES

A FRASE

O homem que envelhece vai tomando gradativamente consciência de que não é eterno. Agita - se menos e, assim, os sons das vozes que vêm do além se fazem ouvir. (Romano Guardini)

PUB

Newsletter

Entrevistas

Originais

Opinião