Opinião dos Leitores

Newsletter

Tradutor

Livros & Leituras TV

Entrevistas

António Ramos Rosa - Professor era assim que o tratava...

Avaliação: / 8
FracoBom 

OPINIÃO - Colaboradores

alt

Professor, era assim que eu o tratava, privamos pouco, o suficiente para entender de que matéria são feitos os génios, o suficiente para umas aulas grátis acerca de tudo de uma só vez, estávamos os dois sentados na sombra de uma palmeira, em pé uma nuvem de formandos que me acompanhavam.

-Sabe que o Pessoa foi um “manga-de-alpaca”? Disse.

-Sim professor, já li acerca disso, sei que sim.

-E sabe que o homem era tradutor, que trabalhava nas casas da baixa a troco de uns cobres? Um génio, um génio…

-Sim também li acerca do assunto.

Em cima da mesa de plástico branco, estavam suspensas pelo vento algumas folhas avulso, a mão trémula que as segurava era firme com a caneta, e assertiva nos traços do lápis.

Interromperam pertinentes alguns dos formandos.

-Professor gostamos muito de o ler, de ler o que escreve e agora de o ter conhecido pessoalmente, obrigada.

Saí em reforço da ideia, -Conte-nos o segredo das palavras.

-É só um, ler, ler muito, nos outros busco sempre inspiração para mim, nos Franceses, leio muito os Franceses, filosofia, gosto de ler filosofia.

Nos almoços que semanalmente partilhávamos, na mesma sala, a espaços, aquando da crueldade dos invernos, a tosse profunda invadia-lhe a alma e enchia a sala como só os especiais conseguem.

Ao lado, sempre ao lado a esposa, dedicada, preocupada, a inteligência em pessoa, Agripina de seu nome, Escritora, Sensível, Compreensiva, Mãe, Mulher, Amiga, com quem me orgulho de ter partilhado ideias e ideais e algumas manhãs na biblioteca.

O corpo de António Ramos Rosa vai a sepultar, o homem fica connosco e com as gerações vindouras, era até ontem o maior poeta Português vivo, é hoje o maior poeta Português contemporâneo, os homens deste tamanho não morrem, renascem a casa frase, a cada momento em que são lidos, a cada verso irregular, a cada metáfora, a cada dia novo.

Irregulares são também as vontades, a minha, a da sua vida eterna.

Bem haja professor.

Comentários   

 
0 #1 António Pena Gil 14-11-2013 18:52
Estimados Amigos:
Todo o mau carinho e ternura por esse fenómeno ilustre e notável que foi o Professor.
Não consigo dizer mais nada dada a comoção.
Apenas, um grandioso respeito e fascínio.
Admirá-lo-ei sempre.
Cordialmente.

António Pena Gil

Precisávamos mais neste país de sonho de mais extraordinários e fabulosos senhores ilustres do pensamento como este.
 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

PUB

NOVIDADES

A FRASE

Se tiveres a coragem de olhar o mal cara a cara, de o veres como realmente é e de lhe dares o seu verdadeiro nome, ele não terá poder sobre ti e poderás destrui - lo. (Lloyd Alexande)

Originais

Opinião